Infinito Nada – Pinturas recentes

Em frente a uma pintura minha, seu silêncio, seu vazio, é impossível para mim não me ver como sou, nu, simplesmente. Aqui eu tenho que enfrentar a mesma pergunta novamente, o mesmo desafio: quem sou eu e qual será a minha escolha? Nesse tempo, quando o modelo que por séculos prevaleceu entra em colapso, surge a questão fundamental de nossa era. Nossa maior e última responsabilidade: nossa escolha.

Assim, esta consciência particular sobre o Infinito Nada, alcançada não através da teoria, mas por minha experiência de vida, é o tema da minha pintura.

Sergio Lucena


Para sair da galeria, basta pressionar a tecla "esc"